Informações que toda pessoa deveria saber

Apesar de ter estudado ou seguido toda a trajetória da escola, do curso primário à pós-graduação, em nenhuma dessas oportunidades eu recebi as informações relacionadas a autoconstrução de uma vida e de uma alimentação mais saudáveis e adequadas, como as que vou passar.

No curso primário, em algum momento, deveriam ter sido repassadas essas informações que vou abordar nesse texto.

No segundo grau ou ensino médio, muito foi estudado sobre biologia e também ali caberiam ter abordado assuntos ou conhecimentos de tão grande importância.

Por que se estudam tantas disciplinas ligadas à natureza às plantas à ecologia, à vida e não se abordam nem repassam conhecimentos científicos, verdadeiros e tão importantes?

Por que será que milhares de pessoas que ao longo do tempo cuidaram de determinar o que deveria e o que não deveria fazer parte dos currículos  escolares, não deram importância ou consideraram irrelevante a inclusão desses determinados conhecimentos?

Por que será que ao longo de décadas, séculos o que vou abordar passou batido, passou desapercebido pelos senhores, professores e doutores que ao longo do tempo elaboraram os currículos de todo o sistema de ensino?

Pois é. Essas informações, eu considero de vital importância para todas as pessoas.

Será que intuitiva ou empiricamente alguém acabaria descobrindo outras informações por si próprio como aconteceu comigo quando ainda era criança com mais ou menos oito/nove anos de idade?

Na cabeça de criança de roça pipocam perguntas. Eu imaginava que da boca até ao estômago a gente tinha por dentro, um canudo de bambu para conduzir os alimentos.

E a pergunta que me veio foi:
– Será que se eu estando de ponta cabeça e comesse alguma coisa, a comida chegaria ao estômago subindo pelo canudo?

Procurei uma goiaba sem bichos, madurinha, me dependurei pelos joelhos ficando de cabeça para baixo na galha de uma árvore e comi o primeiro pedaço da goiaba engolindo-o e acompanhando as sensações. Senti que o  que eu havia mastigado e engolido, foi subindo até chegar ao estômago. Comi a goiaba toda e tudo subiu até ao estômago.

Conclusão: descobri os movimentos peristálticos naquele momento mas, não sabia que tinham esse nome.

O problema é que existem informações muito mais complexas do que essa que não nos permitem descobertas empíricas.

Um exemplo é o vou passar para o leitor(a).

Certo dia, quando fazia o curso de psicologia vi dois integrantes do movimento hari krisnha, vendendo um livreto sobre alimentação.

A curiosidade me fez compra-lo e lê-lo. Para minha surpresa, nesse livreto, tomei conhecimento das diferenças fisiológicas que existem entre os animais carnívoros, herbívoros e frugívoros.

As três principais e gritantes diferenças são:

  • Todo animal carnívoro sua pela língua e pelas membranas das patas; todo animal frugívoro e herbívoro suam pela pele.
  • O comprimento do aparelho digestivo dos carnívoros é três vezes o comprimento do corpo; o comprimento do aparelho digestivo dos herbívoros é onze vezes o comprimento do corpo e dos frugívoros, até doze vezes.
    Por razões óbvias, o trato digestivo dos carnívoros é três vezes menor, para evitar a putrefação.
    O comprimento do aparelho digestivo de nós humanos é de até 12 vezes o comprimento do nosso corpo.
  • O ácido clorídrico secretado no estômago dos carnívoros é vinte vezes, ou seja, 2.000% mais concentrado do que o dos herbívoros e frugívoros.
    Também por razões óbvias, a maior concentração de ácido clorídrico é necessária para reagir, decompor e digerir quantidade de carne ingerida pelos carnívoros.

No total, são catorze as diferenças que transcrevo na página seguinte.

Essas informações cientificamente corretas foram tão impactantes pra mim que desde então, já fazem mais de 30 anos que me tornei vegetariano.

De posse dessas informações vitais, cada pessoa pode se orientar em relação a melhorar a qualidade da sua alimentação e preservar sua saúde, contribuindo para uma maior longevidade!

Obs.: Essas informações foram obtidas num livreto que adquiri de um membro da instituição Sociedade Internacional para a Consciência de Krishna.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *