Os transtornos psicológicos e psicossomáticos, indicam a necessidade de se fazer uma psicoterapia pois é através das limitações e ou somatizações, que a demanda se explicita, e a necessidade da psicoterapia se evidencia. Os sintomas são alarmas, chamando a atenção para que se trate das suas causas, buscando o reequilíbrio biopsíquicosocial.

O processo psicoterápico deve ser orientado no sentido de enriquecer o modelo de mundo do cliente, ajudando-o a mobilizar os seus recursos para a implementação das transformações desejadas. Vale lembrar que existem orientações psicoterapêuticas que podem se adequar a uma infinidade de demandas, porém, como em todos os segmentos do conhecimento científico, nenhuma há que dê conta de tudo.

Muitas vezes se faz necessário o acompanhamento médico em conjunto com a psicoterapia e outras vezes se faz necessário o acompanhamento psicológico em conjunto com o tratamento médico. Um exemplo disso ocorre quando o cliente entra numa depressão. Pode ser necessário o uso de medicação e acompanhamento médico durante a psicoterapia.

Transtornos psicológicos tais como: insônia, depressão, síndrome do pânico, estresse, distúrbios psicossexuais, traumas, anorexia, bulimia, gagueira, fobias, dificuldades de aprendizagem e adaptação, transtorno bi-polar, ansiedade, inibição, limitações de comportamento, anorgasmia, estresse pós-traumático, problemas emocionais e de relacionamento, etc., podem e devem ser tratados com Psicoterapia ou com a Psicanálise.

A Psicologia é conhecimento científico e a Psicoterapia, sua “praxis” no ajudar as pessoas a se ajudarem!