Teste

Graduação gratuita?

Muitas são as pessoas que usufruem do ensino gratuito nas universidades federais ou estaduais, custeadas com o dinheiro dos impostos. Depois de formados, como retribuem? Será que os privilegiados se preocupam em retribuir na mesma proporção, a essa sociedade que custeou toda a sua formação acadêmica? Inclua-se aí, não raro, cursos de mestrado, especializações, doutorado, pós doutorado e bolsas no exterior com todas as despesas pagas durante meses e anos.

O aluno de uma Universidade Federal e ou Estadual, recebe o melhor ensino, ministrado pelos mais bem remunerados profissionais do mercado, utiliza-se dos maiores laboratórios, bibliotecas, materiais, enfim dos melhores e mais amplos recursos didáticos disponíveis.

Esses privilégios têm um custo equivalente e criam um débito do aluno, com essa sociedade que paga tudo isso mas que, caolha (pêlos olhos dos seus “governantes”) não vê ou não cobra aquilo que lhe é de direito.

Você que se formou numa Universidade Pública pensa que foi tudo de graça? Tem idéia do quanto custou a sua formação, para os cofres públicos e para a sociedade?

O fato do seu curso não ter sido pago por você, não quer dizer que tenha sido de graça ou que teve custo zero. Não. O custo foi equivalente ao que se paga nas melhores universidades particulares.

Se você se graduou, bacharelou, pós-graduou, ou se doutorou numa universidade federal ou estadual, o que deu em troca para essa sociedade que custeou a sua formação através do pagamento de impostos? Considera isso justo em relação a todos os que pagaram pela própria formação acadêmica? Você já deu algo em troca? Ou ainda continua em débito com essa mesma sociedade da qual faz parte? Pense nisso! Essa com certeza não é uma relação de troca.

Joel Antunes dos Santos – psicólogo, psicoterapeuta
Pós-graduado em Psicologia Médica pela UFMG